“A má qualidade do sono agrava a fibromialgia”

 

Para assinalar o Dia Mundial da Fibromialgia a 12 de Maio, o iSleep entrevistou  João Eurico Fonseca, presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia. Este considera que os “mecanismos relacionados com a dor e a ansiedade no doente fibromiálgico podem ser geradores da má qualidade do sono” e que por sua vez o mau sono “agrava os sintomas da doença”. Portugal tem cerca de 200 mil doentes com fibromialgia.

O doente fibromiálgico não tem muitas vezes um sono reparador. Quais as causas  aqui envolvidas?

As causas não são conhecidas com precisão. Mecanismos relacionados com a dor e com a ansiedade podem ser geradores da má qualidade do sono. Por outro lado, a má qualidade do sono é um fator etiológico e de agravamento da fibromialgia.

O campo de intervenção fundamental da fibromialgia é a reumatologia ou deve ser  multidisciplinar? 

Deve ser multidisciplinar, envolvendo, pelo menos, a reumatologia, a psiquiatria e a psicoterapia.

Quais os critérios de diagnóstico da fibromialgia? O diagnóstico continua a ser  difícil de fazer?

O diagnóstico implica excluir previamente outras doenças reumáticas e depende muito da história clínica  e do exame físico. A experiência clínica é decisiva no diagnóstico.

Continua a ser feita a crítica de que a  classe médica em geral está pouco sensibilizada para a fibromialgia. Ainda é, de facto, assim? 

Menos atualmente. Mas ainda existe alguma falta de sensibilidade para o tema.

Portugal tem hoje quantos doentes fibromiálgicos? E quantas são as mulheres?

De acordo com o estudo EpireumaPt, promovido pela SPR, afecta 1,7% da população portuguesa, sendo a maioria mulheres.

Como se explica que a fibromialgia afecte mais as mulheres?

Não há uma explicação exata para isso. Aspectos hormonais e níveis diferentes de neurotransmissores como a serotonina poderão ter um contributo.

A incidência europeia e mundial da doença está em linha com a portuguesa? 

Sim, encontra-se em linha com a portuguesa.

Qual tem sido a actuação da Sociedade Portuguesa de Reumatologia no combate à Fibromialgia?

A Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR) disponibiliza informação para os doentes no seu site, institui um prémio de investigação em dor e foi responsável pelo único estudo que determinou a prevalência da fibromialgia em Portugal. A SPR está também a suportar um programa nacional de melhoria dos cuidados médicos na área das doenças reumáticas, onde se inclui a fibromialgia.

 

 

 

Comments are closed.