A Vénus Adormecida, de Giorgione

Sono Venus Giorgione

A Vénus Adormecida, do pintor italiano renascentista Giorgione (Giorgio Barbarelli da Castelfranco, 1477-1510), é considerado pelos críticos um dos pontos de partida para a arte moderna ao retratar uma mulher nua. Os contornos  eróticos do quadro, o braço levantado da Vénus e a sua mão esquerda na virilha realçam o carácter revolucionário da obra, o que levou a que fosse resguardada púdicamente durante muitas décadas resguardada dos olhares do público. O quadro foi também inovador pelo novo uso da paisagem como moldura para a deusa. Após a morte de Giorgione, com apenas 33 anos, a obra foi completada por Ticiano, servindo-lhe de modelo para a famosa Vénus de Urbino. Ticiano acrescentou ao quadro um Cupido entre as pernas de Vénus, certamente numa homenagem à rebeldia de Giorgione. Mas este pormenor foi removido numa restauração da obra em 1800 devido ao mau estado de conservação.