“Falta informação sobre a importância do sono na saúde e desenvolvimento das crianças”

maria do rosario carneiro

Maria do Rosário Carneiro, activista cívica e política, ex-deputada do Movimento Humanismo e Democracia, especialista em assuntos de educação, diz ao iSleep que “a organização curricular dos ensinos básico e secundário deveria prestar mais atenção aos diversos aspectos da organização da vida pessoal e relacional” e que “há insuficiente informação sobre a importância do sono na saúde e desenvolvimento das crianças”. Com 9 filhos, um deles a maestrina Joana Carneiro, refere que “durante muitos anos dormi muito pouco”. Ao ponto de poder adormecer em qualquer lugar: “ uma vez adormeci na cadeira do dentista com a broca em funcionamento”.

Os especialistas no sono dizem que persistem em Portugal maus hábitos de sono, com perda de horas de descanso em adultos, crianças e adolescentes.  Da sua experiência no campo educacional e social diria que esta realidade tem a ver com que factores? 

Penso que relativamente aos adultos terá a ver com problemas de organização pessoal, nos quais se podem incluir maus hábitos. Mas também com a necessidade objectiva de tirar ao sono horas para trabalhar.

Quanto às crianças e adolescentes, e partindo do princípio que as suas horas de sono são acompanhadas pelos pais, de novo se colocam os problemas de organização da vida familiar e dos filhos em particular, algum laxismo e incapacidade de definir e concretizar normas. Subjacente estará também uma insuficiente informação quanto à importância do sono na saúde e no desenvolvimento das crianças.

Pensa que em famílias  carenciadas ou desestruturadas, os maus hábitos de sono serão mais frequentes?

As famílias carenciadas não são necessariamente desestruturadas. Contudo, a debilidade económica pode conduzir a uma acrescida dificuldade de organização da vida familiar inerente à precariedade em que se encontram.

É especialista na área da educação. Os horários às 8 horas e 30 minutos no ensino básico são adequados?  

Parece-me um horário adequado, nomeadamente pensando na conciliação com os horários de início de trabalho dos pais e partindo do pressuposto que as crianças se deitam a horas adequadas.

Pensa que os planos curriculares no ensino básico e secundário deviam dar mais atenção a matérias relacionadas com os mecanismos do sono e os comportamentos de higiene do sono? 

Penso que a organização curricular dos ensinos básico e secundário deveria prestar mais atenção aos diversos aspectos da organização da vida pessoal e relacional, nos quais se incluem as várias dimensões que contribuem para estilos de vida saudável.

Deus acorda para acalmar a tempestade no Evangelho Segundo São Mateus. Atribui algum significado especial a este episódio da Bíblia?  

Para os cristãos, Jesus é o Deus incarnado. Como qualquer homem, precisou de dormir, de descansar, para depois fazer as suas obras.

Que pensa  da expressão Deus não dorme?

Penso que só pode querer significar, para os crentes, a presença constante de Deus nas suas vidas.

Foi deputada mais de 15 anos. Ficou com a impressão que os deputados e os políticos em geral falham nos comportamentos de higiene do sono e dormem pouco?  

Fiquei com a impressão que há alturas em que dormem muito pouco. Permanecem velhos hábitos de marcar reuniões ao fim do dia que se prolongam frequentemente pela noite fora. Raramente se começa cedo para acabar cedo.

O facto de ter nove filhos tornou a vida familiar muito complicada em termos de sono?

Houve alturas muito complicadas em termos de sono. Tinha muitas tarefas e não cabiam todas nas horas do dia, por isso, durante muitos anos dormi muito pouco.

Já houve situações na sua vida em que o sono foi bom conselheiro? Em que medida a ajudou?

O sono é sempre bom conselheiro, nomeadamente quando se está cansado e já não se consegue pensar bem, para não falar da situação de cansaço físico que nunca é boa conselheira. Por outro lado, muitas vezes o tempo do sono deu-me a distância e o tempo necessários para equacionar melhor as questões e eventuais alternativas.

Devo ainda dizer que muito boas ideias vieram “quando dormia”. O dramático é que me esqueci de muitas delas!

Adormece facilmente? Já teve insónias? É mais “coruja” ou “cotovia”? 

Adormeço muito facilmente e raramente tive insónias. Durante a maior parte da minha vida fui”coruja”, trabalhei sempre muito bem à noite que era o período mais tranquilo do dia e mais oportuno para estudar e preparar trabalho.

Hoje, tenho sono muito mais cedo e acordo bem mais cedo do que no passado. Contudo, quando é necessário algum trabalho sob pressão, retomo velhos hábitos de “coruja”.

Lembra-se de alguma história pessoal ou profissional divertida envolvendo o sono ou a falta dele?

Na época em que dormia pouco, lembro-me que dormia em qualquer sítio em que me sentasse. Eram momentos preciosos. Uma dessas situações, foi na cadeira do dentista com a broca em funcionamento.