“Apenas o monótono tique-taque do relógio”

O poeta russo Alexandre Pushkin escreve um poema sobre uma noite de insónia:

“Não consigo dormir, nenhuma luz brilha;

Por todo o lado, escuridão, sono irritante.

Apenas o monótono

Tique-taque do relógio,

A tagarelice do destino das velhas,

Tremendo na noite adormecida,

Tímido apressar da vida…

Por que me perturbas?

Sussurros entediantes, o que querem dizer?

Estará o dia que desperdicei

A repreender-me ou murmurando?…”

Alexandre Pushkin, Linhas Escritas à Noite Durante a Insónia

You must be logged in to post a comment