“Contrariar a sonolência do início da noite pode causar insónia”

Dulce Neutel, médica neurologista e especialista em medicina do sono no Cenc-Dra Teresa Paiva, continua a publicação no iSleep de um conjunto de oito artigos sobre o sono intitulado “O sono nos dias de hoje” . Eis o terceiro:

Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer. Cresci a ouvir este ditado popular. Toda a vida segui à risca este princípio sem ter de fazer qualquer esforço para o implementar nas rotinas do meu dia a dia. Adoro acordar de manhã bem cedo, tomar um pequeno-almoço reforçado e começar a trabalhar. Os pensamentos, as ideias, fluem com facilidade e uma enorme criatividade. O fresco da brisa matinal conforta-me. Ao final do dia começo a perder energia e faço tudo o que tenho a fazer antes de jantar. Organizo o dia seguinte antes de ir para a mesa. Janto com a cozinha completamente arrumada para ter apenas de colocar os pratos, os talheres e os copos na máquina de lavar loiça quando termino a refeição. Depois é um período de relaxamento e nada fazer até ir para a cama e dormir.  Tal como na minha infância, muito antes de saber sobre a importância de respeitarmos o nosso ritmo biológico, já eu ia para a cama quando começava a ficar com sono.

Durante algum tempo trabalhei com uma colega que chegava sempre atrasada à reunião das 08h00m, que escrevia tudo o que lhe diziam pela manhã e que às 11h00m ia tomar o pequeno almoço e quando regressava dizia-me “esta manhã na reunião o que ficou decidido em relação ao doente da cama 1?”.  Quando fazíamos banco juntas à noite e íamos jantar ficava sempre impressionada como quando passava das 23h00m e depois de fumar o seu cigarro olhava para mim e dizia “Então vamos lá despachar os doentes que estão à nossa espera!” com uma energia no olhar que eu já não conseguia reunir em todo o meu corpo – eu só queria uma cama.  Ela ficava a trabalhar até às 04h00 sem qualquer dificuldade e adormecia facilmente  pelas 05h00m. Uma cotovia  e um mocho a trabalhar em equipa pode ser um desastre na organização de um serviço ou pode ser rentabilizado de forma a que a equipa possa ser mais produtiva.

 

É fácil olhar para um mocho pela manhã e achar que é um atrasado crónico que não sabe respeitar um relógio e para uma cotovia como o preguiçoso que quer é dormir mal a noite chega. Desenganem-se todos os que acreditam que é uma questão de escolha! Para algumas pessoas pode até ser relativamente fácil contrariar o seu relógio biológico. Alguns de nós conseguem até enganar o seu relógio interno com uma pequena sesta à hora de começar a noite de sono mas, ao invés disso, acordarem ao fim de algum tempo para irem trabalhar durante algumas horas.  Quantos doentes não me tentam convencer que o seu horário de trabalho preferencial é o noturno para justificar deitar tarde? Na sociedade atual, em que os estímulos durante o dia chegam a ser permanentes tornam a noite um período mais tranquilo e com melhores condições para trabalhar com maior tranquilidade. Mas essa opção, utilizando uma estratégia de ultrapassar a sonolência do início da noite, pode ter consequências a médio-longo prazo – muitas vezes este tipo de comportamento resulta em insónia, mas mais frequentemente, em privação de sono.

 

Existem estratégias que podem facilitar o adormecer mais cedo como apanhar sol logo pela manhã bem cedo e a redução da exposição luminosa no final do dia ajudam na produção de melatonina que nos facilita o adormecer. O que acontece muitas vezes é exatamente o oposto – uma exposição luminosa bastante intensa no final do dia (televisão, computador, tablet…) e uma quase ausência de luz do sol pela manhã (por vezes, recorrendo até aos óculos escuros ao sair de casa). Esta última estratégia facilita o atraso do sono mas, porque somos uma sociedade que se levanta cedo, facilita igualmente a privação de sono.

Seguindo as próprias palavras de Barack Obama ele parece ser um mocho “I’ll stay up until like 2 o’clock at night, reading briefings and doing work”. Benjamim Franklin outro político americano parece ter sido uma cotovia. A sociedade actual começa a deixar de ser governada pelos que se levantam cedo – estes começam a ser substituídos por aqueles que não dormem. E quais são as consequências para uma sociedade se os indivíduos que a constituem deixarem de dormir?

 

You must be logged in to post a comment