“Fui longe demais? Definitivamente. Não dormia o suficiente”

O norte-americano, J. D. Vance, autor do best-seller “Lamento de uma América em Ruínas”, um retrato da América rural, branca, e da classe média baixa, fala da falta de oportunidades e dos comportamentos erráticos, também no que respeita ao sono:

“Fui longe demais? Definitivamente. Não dormia o suficiente. Bebia em excesso e quase todas as minhas refeições eram feitas no Taco Bell. Depois de uma semana doente com o que eu pensava que fosse uma gripe muito forte, um médico disse-me que eu tinha mononucleose. Ignorei-o e continuei a fazer a mesma vida com a ajuda de medicamentos para a gripe, como se estes fossem elixires mágicos. Após uma semana assim, a minha urina adquiriu uma coloração castanha, realmente nojenta, e tinha 40 graus de febre. Percebi que era altura de cuidar de mim, então tomei alguns comprimidos de paracetamol, bebi umas cervejas e fui dormir. Quando a minha mãe descobriu o que se estava a passar, conduziu até Coloumbus e levou-me à urgência (…) Passei dois dias no hospital a receber soro (cinco sacos) para me reidratar e descobri que tinha contraído uma infecção por estafilococos, além da mononucleose, o que explicava porque fiquei tão mal”

 

in J. D. Vance, “Lamento de uma América em Ruínas”, Publicações Dom Quixote, 2017

You must be logged in to post a comment