“Há cada vez mais homens com enxaquecas”

Teresa Paiva esteve presente a 12 de Setembro numa iniciativa realizada no Hospital de Santa Maria por ocasião do Dia Europeu da Enxaqueca, onde foi homenageada por ter fundado em 1976 a primeira consulta de cefaleias em Portugal. A neurologista Isabel Pavão Martins foi uma das organizadoras da iniciativa.

A neurologista e especialista em medicina do sono recordou que “as perturbações do sono como a insónia e a apneia do sono e as cefaleias eram áreas de fronteira mas ninguém as tratava. Tem enxaquecas, pois tem de sofrer, dizia-se. Mas ainda hoje, como se sabe, alguns neurologistas desvalorizam as cefaleias e enxaquecas ”.

“Na consulta apareciam sobretudo mulheres, muitas delas vítimas de violência dos maridos alcoolizados. Era um país onde se bebia muito vinho. Até aqui no café “Toxinas” de Santa Maria se servia vinho a copo. Já os homens na consulta eram raros.”

“E lembro-me que não havia medicamentos específicos para o tratamento das cefaleias, como os triptanos a toxina botulinica”.

“Quais são os novos paradigmas de hoje nos doentes com cefaleias que surgem no meu consultório? Crianças e jovens de ambos os sexos que estão muito tempo nas escolas ou que têm muitas actividades. Doentes de todas as idades com dores na coluna cervical, muitas vezes pelo uso excessivo dos tablets, iphones  e smartphones, para os quais se olha com a cabeça inclinada. Muitos homens com  privação de sono por causa do excesso de horas de trabalho e desempenho de tarefas domésticas, causando-lhe cefaleias e enxaquecas”.

You must be logged in to post a comment