Mulheres na menopausa: melhor vida sexual com mais horas de sono

Um estudo norte-americano elaborado pela escola de medicina de Harvard , a  Universidade da Califórnia e a Clinica Mayo sugere que dormir pelo menos sete horas por noite pode melhorar a vida sexual das mulheres na menopausa.

A investigação, publicada no início de Fevereiro  no jornal da Sociedade norte-americana de menopausa (NAMS), avaliou 93 668 mulheres com idades compreendidas entre os 50 e os 79 anos, todas na menopausa, e concluiu que quanto menor o número de horas dormidas pelas participantes pior era o nível de satisfação sexual.

Em geral, as mulheres que dormiam menos de sete horas por noite tinham menor satisfação sexual que as que dormiam mais de sete  horas.

Por classe etária, as mulheres com mais de 70 anos que dormiam menos de 5 horas eram 30 por cento menos propensas a ser sexualmente ativas  que as mulheres da mesma classe etária que dormiam entre sete e oito horas.

Por sua vez, as mulheres com insónia frequente, cerca de 31% das participantes, foram as que tiveram pior níveis de satisfação sexual.

Os resultados da investigação mantiveram-se inalterado após o despiste de outras possíveis causas de privação do sono, como a depressão e a doença crónica.

Há, porém, uma questão incontornável neste estudo. É sabido que na terceira idade, em virtude de vários mecanismos biológicos e funcionais, as horas de sono reduzem e o sono é de menor qualidade. Nesta medida, o grande desafio desta investigação é melhorar o sono das mulheres na menopausa, por exemplo com terapia hormonal, tal como sugere JoAnn Pinkerton, presidente executivo da NAMS, para depois melhorar os níveis de satisfação sexual.