“O caminhar do estranho no quarto ao lado fundia-se com os meus nervos”

O escritor João Tordo descreve uma noite de insónia em
“O Livro dos Homens sem Luz”. O iSleep publica um extracto da obra: “Não sabia dizer ao certo quantas horas permanecia acordado e quantas dormitava. Por vezes, o dia surgia inesperadamente, inundando o espaço junto da janela com imagens de chuva, e era como se atravessasse um segundo no tempo que equivalia a uma eternidade. Outras vezes o caminhar do estranho no quarto ao lado fundia-se com os meus nervos, provocando um terrível desconforto, e queria levantar-me, entrar no seu quarto e desmembrá-lo, para que nunca mais pudesse caminhar”

In O Livro dos Homens sem Luz, João Tordo, Lisboa 2004, Temas & Debates

You must be logged in to post a comment