“O medo, o pavor criaram problemas psicológicos”

O professor e psicólogo forense, Carlos Poiares, falou ao iSleep sobre as brutais alterações provocadas pelo confinamento durante a Pandemia Covid 19  

“Situações anómalas geram factos anómalos, daí ser muito natural que o sono tenha sido alterado”.  

“Os hábitos e ritmos de vida foram alterados. Por exemplo, no que se refere às crianças, perdemos o hábito de ser pais a tempo inteiro, o que implicou uma adaptação nem sempre fácil”, refere.

“A obrigação de convivência gerou situações complicadas, muitas vezes com situações de violência familiar, psicológica e física. Este tipo de criminalidade agravou-se”.

“Quanto aos crimes mais mediáticos, como os da Valentina ou de Beatriz Lebre, verificam-se sempre”, com ou sem Pandemia, acrescenta.

No domínio da saúde mental, “o medo, o pavor do Covid-19 criou problemas psicológicos”, diz.    

 E no campo laboral, “o teletrabalho, que sai mais barato, é uma canibalização do trabalhador a que é preciso estar atento”.

Como viu a situação nas prisões?

“A libertação de presos foi uma medida que contribuiu para a Pandemia Covid -19 não ter grandes efeitos nas prisões”.  

E como dormiu no tempo do confinamento por causa do Covid-19?   

“Fiz o erro de levar o computador do trabalho para casa e trabalhei  muito para além do horário, o que implicou que me deitasse mais tarde”.