“O sofrimento não foi interrompido pelo sono”

O escritor alemão Thomas Mann, Prémio Nobel da Literatura, escreve sobre o sono agitado de uma personagem:”Por diversas vezes esteve prestes a acordar mas, temendo que tal acontecesse , voltava sempre a afundar-se num estado de inconsciência. Quando clareou por completo, no entanto, abriu os olhos e, com um grande olhar dorido, olhou à sua volta. Tudo lhe surgiu claramente no espírito; era como se o seu sofrimento não tivesse sido de todo interrompido pelo sono. Sentia a cabeça pesada e os olhos ardiam-lhe; porém, depois de se ter lavado e humedecido a fronte com Eau de Cologne, sentiu-se melhor e quedou-se novamente sentado no seu lugar à janela, que ficara aberta. Era ainda muito cedo, por volta das cinco horas”.

in Thomas Mann, Tristão e outros Contos, Editora Ulisseia

You must be logged in to post a comment