16 de Março: Dia Mundial do Sono

“Junte-se ao Mundo do Sono! Preserve os seus Ritmos e desfrute a Vida!” é o slogan do Dia Mundial do Sono 2018 que se assinala a 16 de março de 2018 e este ano tem como objectivo frisar a importância de respeitar os ritmos circadianos para alcançar um sono saudável a nível global.

O slogan de 2018 inspira-se na atribuição recente do Prémio Nobel da Medicina a três cientistas norte-americanos que dedicaram os seus estudos precisamente aos ritmos circadianos, Michael Rosbash, Jeffrey Connor Hall e Michael Warren Young.

Há hoje o reconhecimento científico de que a preservação dos ritmos circadianos regulares é essencial para reduzir o risco de distúrbios do sono, transtornos de saúde mental e problemas de saúde crónicos, como a obesidade e os diabetes.

O World Sleep Day é organizado pela World Sleep Society, fundada pela Associação Mundial de Medicina do Sono (WASM) e pela Federação Mundial do Sono (FSM), tendo como missão a promoção de um sono saudável global.

O World Sleep Day lançou vários temas para debate por ocasião do Dia Mundial do Sono.

— A maioria dos distúrbios do sono, cerca de cem clinicamente identificados,  são evitáveis ​​ou tratáveis mas menos de um terço dos pacientes procura ajuda médica especializada.

— Há três elementos a considerar para um sono de boa qualidade, a duração, a continuidade e a profundidade.  Duração — a quantidade de sono deve ser a suficiente para que a pessoa se sinta descansada e alerta no dia seguinte. Continuidade: os períodos de sono devem ser contínuos, sem fragmentação. Profundidade: o sono deve suficientemente profundo para ser reparador.

— A apneia do sono é um distúrbio que afecta 4% dos homens e 2% das mulheres. Provoca sonolência diurna e fadiga e pode causar hipertensão, doença cardíaca, acidente vascular cerebral e diabetes. Cada pausa na respiração pode durar entre 10 segundos e mais de um minuto. Os eventos podem ocorrer entre 5 a 50 vezes ou mais por hora, o que constitui uma enorme carga para o coração e pode levar a uma série de situações de saúde graves.

— A insónia primária (insónia sem condição subjacente) afecta entre 1 a 10% da população em geral, chegando até 25% nos idosos. As pessoas que sofrem de insónia são sete vezes mais propensas a se envolverem em acidentes de viação que causam a morte ou ferimentos graves do que as pessoas com sono reparador.  Várias investigações têm demonstrado que as pessoas com insónia sofrem de mais sintomas de ansiedade e depressão do que pessoas sem insónia.

 

 

 

 

 

 

 

You must be logged in to post a comment