“Sono melhora aprendizagem verbal e motora”

Teresa Paiva participou numa conferência  na Universidade Católica, em Lisboa, intitulada  “Conversas do sono e dos ritmos com o corpo e o quotidiano”, realizada a 20 de outubro passado.

A neurologista e especialista em medicina do sono falou sobre o sono e a doença de Alzheimer, referindo dois estudos de 2014 que associam a privação do sono e o sono fragmentado com esta doença, designadamente estudos de Lucey e Bateman 2014 e de  Lim et al 2014, respectivamente.

Teresa Paiva referiu-se também a estudos sobre a aprendizagem que concluem pela importância do sono para competências diversas.

No que se refere à  aprendizagem verbal, um estudo aplicou aos participantes tarefas de listas de palavras emparelhadas, sílabas sem sentido, locais de objetos, histórias curtas e listas de palavras.

O estudo concluiu, disse Teresa Paiva, que os participantes que dormiram após a aprendizagem  mostraram melhor capacidade de memória e desempenho na repetição de tarefas  do que os indivíduos que permanecem acordados”.

No que se refere à  aprendizagem motora, Teresa Paiva referiu que “outro estudo  aplicou aos participantes tarefas de toques nos  dedos. A investigação concluiu “que o sono pode tornar as habilidades motoras mais estáveis e levar a um aumento de velocidade e precisão na execução e destreza das tarefas” , acrescentou a neurologista  e especialista em medicina do sono.