Teresa Paiva na TVI  

Teresa Paiva comentou a reportagem da TVI “Inimputáveis”, da autoria da jornalista Ana Leal, que foi emitida em 4 de Junho de 2017. No trabalho jornalístico são entrevistados doentes na clínica psiquiátrica do estabelecimento prisional de Santa Cruz do Bispo considerados judicialmente  inimputáveis pelos crimes que cometeram.

“Uma historia psiquiátrica tem geralmente sempre um passado, a história da maldade tem um passado, a maldade tem um passado.  A pessoa não é má de um momento para o outro”, disse Teresa Paiva.

A médica neurologista e especialista em medicina do sono participou há 30 anos na equipa de médicos  que realizou as perícias para avaliar a sanidade mental de Vitor Jorge, que matou sete pessoas a 2 de Março de 1987, entre as quais a mulher e a filha, no que ficou conhecido como o massacre  da praia do  Osso da Baleia, local dos crimes.

As perícias concluíram que Vitor Jorge não era um doente psiquiátrico, tese que o tribunal sufragou, considerando o homicida imputável e condenando-o a 20 anos de prisão.

Teresa Paiva viu-o no Hospital de Santa Maria, onde era directora do serviço de electroencefalografia,  a pedido dos psiquiatras que o estavam a acompanhar para ver se tinha alguma alteração neurológica. Fez-lhe uma punção lombar e o exame neurológico.

Então não acredita na insanidade temporária, pergunta Ana Leal?

“A insanidade temporária é muito difícil de explicar”.

“Se formos dizer que são insanidades temporárias a quem anda a matar por ai, então onde fica a responsabilidade”, questiona Teresa Paiva.

“Essa tentativa de fazer do crime um problema psiquiátrico acontece constantemente.   Vitor Jorge matou a mulher e a filha, não são crimes triviais. Confesso que tive muito medo quando estive com ele.  Não achei que fosse um doente psiquiátrico”, refere a médica.

You must be logged in to post a comment