Teresa Paiva: “Os riscos de acidentes pelas quatro da manhã são muito fortes”

 

Teresa Paiva 6

 

Teresa Paiva, neurologista e especialista em medicina do sono, escreve um artigo sobre os riscos da sonolência na condução automóvel, considerando-a mais perigosa que o álcool.

Adormecer ao volante é muito perigoso. A sonolência ao volante é mais perigosa que o álcool. Há várias situações que têm de ser analisadas:

1 – As pessoas têm sonolência por terem uma doença do sono, como por exemplo, apneia do sono ou narcolepsia.

2 – As pessoas têm sonolência porque andam com privação crónica de sono. Dormir menos de cinco horas aumenta o risco de acidentes; com menos de três horas de sono, o risco é ainda maior.

3 – Pessoas que conduzem de madrugada. Pelas quatro horas da manhã o risco de acidente aumenta 80 por cento.

4 – As pessoas têm sonolência porque tomam remédios psicoactivos ou hipnóticos.

5 – O álcool e a privação de sono/sonolência têm efeitos aditivos, aumentando substancialmente o risco de acidentes.

6 – O pico de acidentes dos jovens é maior nas madrugadas de sábado e domingo.

7 – As pessoas que têm cochilos frequentes a conduzir têm um risco aumentado de ter acidentes fatais.

8 – Os trabalhadores com turnos nocturnos têm um risco acrescido de acidentes ao regressar a casa, no fim do turno.

9 – Muitas vezes os acidentes são perto de casa, quase ao chegar, porque se foi aguentando o sono. Pensa-se: “já falta pouco, estou quase a chegar”.

10 – De manhã cedo os acidentes são provocados não tanto pelo adormecimento mas mais por fadiga, relacionada com a privação de sono. Ocorre diminuição da vigilidade e atraso nos reflexos.

O condutor sonolento usa várias estratégias para continuar a conduzir: abre a janela, põe a música alta, dá estalos na cara, tira os sapatos. Não há, contudo, estratégias eficazes porque a sonolência é irresistível. Os primeiros sinais são o aumento do pestanejo, o andar aos “esses”, o sair da estrada.

Quando a sonolência é ligeira, a cafeína ajuda. Quando é forte, mais vale dormir um pouco e conduzir só quando se está recuperado, ou não conduzir de  todo.

A sonolência é a primeira causa de acidentes mortais. Os acidentes por sonolência têm as seguintes características:

— surgem em situações inexplicáveis (rectas, boa visibilidade, etc.)

— acontecem mais de madrugada.

— o condutor não faz manobras para evitar o acidente.

— não há outras explicações plausíveis para o acidente.

 

 

 

Comments are closed.