Um sonho de Agustina

A escritora Agustina Bessa Luís hesitou em ser pintora na juventude e conta um sonho que teve sobre um quadro. Um sonho que também evoca o seu último romance “A Ronda da Noite”, em 2006, sobre a obra de Rembrandt que ocupa uma parede inteira da casa dos Nabasco, família nortenha arruinada. “O que me foi dado viver nesse sonho foi o seguinte: eu estava diante dum pesado portão fechado que eu tentava abrir juntando para isso todas as minhas forças; quando consegui o bastante para passar para o outro lado, deparei com um quadro que ocupava toda a área do portão. Os tons eram escuros mas destavacam-se os guerreiros com as suas armaduras. Era um combate onde não era possível distinguir quem era parceiro ou inimigo. Acordei e pensei que seria pintora, o sonho seria uma premonição”

In Longos dias têm cem anos,  Presença de Vieira da Silva, Lisboa, INCM, 1982

You must be logged in to post a comment