Vladimir Putin: “ando a dormir pouco”

 

Russian President Vladimir Putin arrives to attend the third day of the NATO Summit conference in  Bucharest, Friday April 4 2008.(AP Photo/Mikhail Metzel)

FOTO: MIKHAIL METZEL

O presidente russo Vladimir Putin queixa-se de andar a dormir quatro e cinco horas por noite. Talvez por estar sensibilizado para o assunto conseguiu que cancelassem sexta-feira à noite um concerto em Marselha para que a selecção russa de futebol, na véspera do embate com a Inglaterra,  dormisse descansada.

É um desabafo inédito numa cimeira de chefes de Estado. Na quarta-feira da semana passada, em Minsk, capital da Bielorrúsia, o presidente russo, Vladimir Putin foi apanhado pelos microfones do canal de televisão Zvezda a confessar ao homólogo bielorrusso Alexander Lukashenko que andava a dormir pouco.

Lukashenko pergunta a Putin se “está tudo bem” e este respondeu que sim mas que não anda “a conseguir dormir muito. Anteontem dormi quatro horas e hoje cinco horas”.

O líder bielorrusso respondeu assim ao desabafo do homólogo russo: “isso é muito mau”.

Talvez por estar sensibilizado para a necessidade de se dormir mais, Putin, em visita a Marselha para a inauguração do Campeonato Europeu de Futebol de 2016, conseguiu junto do presidente da Câmara de Marselha, Jean-Claude Gaudin, que o concerto do cantor franco-italiano Marc Cerrone, marcado para 10 de Junho às 23 horas, fosse cancelado.

O recinto deste espectáculo era muito próximo do hotel onde estava alojada a selecção de futebol russa, podendo perturbar o seu descanso. A equipa técnica, liderada pelo treinador Leonid Slutski queixou-se às autoridades francesas e  intercedeu junto de Putin. No dia seguinte, 11 de Junho, às 20 horas, a selecção russa  defrontava a selecção inglesa, no segundo jogo do Euro 2016, partida que terminou com o resultado final de 1-1.