Miguel Torga: “até que veio o sono”

Miguel-Torga

O escritor e poeta Miguel Torga é visitado pela memória da mãe no dia do seu aniversário , embalado como dantes, até que veio o sono.

“Aniversário

Mãe:

Que visita tão pura que me fizeste

Neste dia!

Era a tua memória que sorria

Sobre o meu berço.

Nu e pequeno como me deixaste,

Ia chorar de medo e de abandono.

Então vieste, e outra vez cantaste,

Até que veio o sono.”

 

in Miguel Torga, Diário IV, Coimbra (1973), pág 111.

Partilhar: