Crianças do 1º ano de escolaridade dormem menos 49 minutos

Um estudo japonês que envolveu uma amostra de 87.548 alunos, do 1º ano até ao 9º ano escolaridade, demonstrou que à medida que aumenta o ano de escolaridade diminui a quantidade de sono, atingindo, no máximo, menos de duas horas e 20 minutos de sono.

A investigação também sugeriu uma associação entre problemas emocionais e comportamentais nos participantes e perturbações do sono, relacionadas com as menos horas de sono.

O estudo, publicado recentemente na revista Nature e que consistiu na aplicação de um questionário às crianças e adolescentes participantes, conclui que os alunos japoneses em idade escolar (até aos 15 anos) não dormem o suficiente.

A duração média de sono nos participantes  foi de 8,5 horas de sono quando a duração do sono recomendada pela National Sleep Foundation é de 9 a 11 horas.

A diminuição da duração do sono está ligada principalmente ao atraso na hora de deitar, refere o estudo. Já a hora de levantar manteve-se constante com a evolução do ano de escolaridade, o que tem certamente a ver com a estabilidade dos horários escolares.

O estudo também revela que a maior mudança de hábitos do sono foi observada no primeiro ano de escolaridade, revelando que as crianças se deitam 30 minutos mais tarde e têm uma redução de 49 minutos na duração do sono.

Os investigadores alertam ainda que a utilização de jogos e vídeos por crianças e adolescentes, que se intensificou nos últimos anos, não foi analisada no estudo (realizado entre 2009 e 2010), o que pode diminuir ainda mais a duração do sono  em crianças e adolescentes objecto de novas investigações.

Partilhar: