“A crise económica é mais suscetível de afectar o sono que a Pandemia Covid”

Teresa Paiva deu uma entrevista à edição especial de setembro de 2020 da revista brasileira Pais&Filhos, publicação com milhões de leitores no Brasil e nos restantes países de expressão portuguesa. O iSleep publica extractos da entrevista, num exclusivo para Portugal, que teve como tema a Pandemia Covid-19 e os efeitos no sono.       

“Houve pessoas cujo sono piorou por causa da Pandemia Covid-19 e outras em que melhorou. As pessoas que tinham muito stress antes da pandemia por terem muito trabalho e com muita pressão, e/ou que tinham grande sobrecarga com os filhos, que levavam e buscavam diariamente da escola, viram de repente este stress atenuado, deixaram de estar pressionadas pelo despertador de manhã e puderam dormir mais”, disse a neurologista e especialista em medicina do sono.   

Mas o sono piorou nos “profissionais de saúde, médicos e enfermeiros, por exemplo, que, lidando diariamente com doentes COVID, estão sujeitos a uma fadiga e stress constantes”,  naqueles “que perderam entes queridos nesta fase, e que foram sujeitos aos respetivos traumas” nos que “tiveram doenças doutra natureza agravadas nesta fase e têm dificuldade em as tratar” e  naqueles “que perderam empregos e carecem de apoios sociais”.

Teresa Paiva falou ainda sobre o futuro próximo no que respeita à Pandemia Covid-19 .  

“Os próximos tempos não vão ser fáceis. Vamos ter de lidar com uma 2ª vaga e com uma crise económica mundial possivelmente grave. A crise económica é mais suscetível de afectar o sono que a pandemia em si própria, e os confinamentos associados”.

A neurologista e especialista em medicina do sono deixou um alerta a finalizar a entrevista à revista Pais&Filhos, que celebra 52 anos com esta edição especial de setembro de 2020 dedicada à Pandemia Covid-19 e ao Sono.      

“Em todas as crises, do mundo ou da vida, há que aprender com elas, retirando e valorizando algo positivo. Esta crise é igual, e, se não aprendermos nada com ela, se não tivermos saudades de um abraço, se não fizermos mudanças no nosso quotidiano e no nosso trabalho, se não valorizarmos “a riqueza” que globalmente temos à nossa disposição, se não percebermos o quanto fazemos parte integrante duma natureza que irrefletidamente persistimos em destruir, então a crise não terá servido para nada e só terá trazido desgraça.  A Esperança vem do Renascer”.

A revista Pais&Filhos brasileira tem como regra os entrevistados fazerem a sua apresentação. Teresa Paiva fez assim a sua apresentação pessoal:      

“Gostaria antes do mais de agradecer a entrevista da Pais&Filhos, que muito me honra, e apresentar-me aos leitores do Brasil: Sou portuguesa, médica neurologista e especialista em Medicina do Sono, na qual trabalho há 37 anos em Lisboa. Montei o 1º Laboratório de Sono em Portugal e sou sócia fundadora nº 1 da Associação Portuguesa de Sono. O trabalho sobre a pandemia COVID-19 de que vou falar, tem a colaboração de grupos brasileiros, designadamente da Professora Katie Almondes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Sou mãe e avó, de 3 filhas e 3 netos, e durante a pandemia, continuei sempre a trabalhar em teleconsultas. Estive dois meses em quarentena e mantenho ainda um relativo isolamento/proteção social”.