“Acordou com o corvo noctívago”

O poeta inglês Alfred Tennyson (1809-1892) escreve um poema sobre a insónia:

“Ao chegar a meio da noite

Acordou com o corvo noctívago;

O galo cantou uma hora antes da luz;

O mugido dos bois chegou até ela

Do escuro estábulo: sem esperança,

Parecia caminhar no seu sono infeliz

Até que o vento gelado despertou a manhã de olhos cinzentos

Sobre a casa solitária circundada por um fosso.

Ela só dizia: ‘O dia é triste,

Ele não vem’

Dizia: ‘Estou cansada, cansada, Quem me dera estar morta’

In Mariana, Lorde Alfred Tennyson

 

Partilhar: