Aquecimento global está a diminuir as horas de sono em todo o mundo

Um estudo de investigadores de universidades dinamarquesas e alemãs, concluiu que o aquecimento global faz diminuir as horas de sono da população mundial.

O aquecimento global está a aumentar as temperaturas durante a noite, num processo ainda mais rápido do que durante o dia.

O arrefecimento da temperatura do corpo é um processo biológico ligado ao sono mas o mesmo arrefecimento é mais difícil quando a temperatura está mais quente.

A investigação, publicada na revista One Earth, revela que o cidadão médio mundial está a perder 44 horas de sono por ano em virtude do aquecimento global, atingindo mais as mulheres em um quarto de diferença, os idosos em duas vezes mais e a população que vive em países mais pobres em três vezes mais.

O estudo, realizado entre 2015 e 2017, envolveu 47 mil pessoas de 68 países, a quem foram colocados actígrafos, representando uma leitura de dados de mais de  7 milhões de noites, constituindo a maior amostra de sempre nesta matéria.

Estudos anteriores revelaram que o aumento das temperaturas prejudica a saúde, envolvendo o aumento de ataques cardíacos e os problemas de saúde mental, além de causar mais acidentes e lesões.

Com o estudo agora realizado, os investigadores dinamarqueses e alemães sugerem que a diminuição das horas de sono por causa do aumento das temperaturas à noite pode ser o factor chave para explicar estes efeitos na saúde.

Desde o final do estudo, em 2017, o aquecimento global  ainda se tem intensificado, sendo provável que um novo estudo na área desse resultados de perda de horas de sono ainda maiores.

Pode ler a investigação na íntegra no seguinte endereço electrónico:

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S2590332222002093?via%3Dihub

Partilhar: