“Comecei a acordar muito cedo”

Irene Pimentel, historiadora, fala ao iSleep sobre o seu sono durante o confinamento da Pandemia Covid 19.

“Comecei a dormir mal no início da Pandemia Covid-19. Comecei a acordar muito cedo. Certamente que as  preocupações com o vírus foram a causa. A incerteza e a insegurança que  o Covid-19 veio provocar é muito forte. E eu sempre dormi bem.  Recentemente recuperei. Hoje estou a dormir melhor”.   

“Vejo com horror os efeitos da Pandemia no campo económico, social, psicológico. Já estamos a sofrer as consequências mas penso que a situação se irá agravar. Nunca investiguei a Pandemia de 1918, onde morreram milhões de pessoas em todo o mundo, a minha investigação tem sido sobre o Estado Novo, mas penso que há uma lição muito importante a retirar. Em 1918, também houve um período de confinamento e foi o desconfinamento muito acelerado que contribuiu para a segunda vaga, muito mais mortal. É evidente que os tempos são outros, a ciência evoluiu muito, as pessoas são mais robustas e têm muito mais esperança de vida. Em 1918 as pessoas também estavam mais frágeis porque tinham saído da I Guerra Mundial, privadas de uma alimentação mais rica e de cuidados de saúde. Mas é preciso estarmos atentos ao que se passou, sobretudo ao perigo de uma segunda vaga”.