Dormir de menos ou de mais aumenta risco de doenças cardíacas

 

sono r deangelo

Uma investigação recente efectuada por especialistas noruegueses e de Taiwan, envolvendo quase 400 mil sujeitos, sugeriu que menos de quatro horas de sono por noite acarreta  um risco aumentado em 36% de doenças cardíacas e que mais de oito horas de sono por noite eleva o mesmo risco para 28%. Estes dados  foram apurados, já envolvendo outros factores de risco, como o tabaco, o álcool e a obesidade.

O estudo, liderado pela investigadora da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia Linn Beate Strand e publicado no International Journal of Cardiology não identificou nenhum aumento no risco de doenças cardíacas em sonos entre as quatro e seis horas por noite e as seis e as oito horas por noite.

 

A equipa de investigação inquiriu 392.164 adultos entre 1998 e 2011 que realizaram exames coronários, de ambos os  sexos,  sobre quantas horas dormiam de noite.

Os resultados foram obtidos através da análise de 711 doentes que morreram com doença cardiovascular durante os 13 anos do período do estudo, entre 1998 e 2011.

Estudos anteriores  já tinham sugerido que a falta de horas de sono aumenta a pressão arterial e a secreção da hormona adrenalina, factores de risco para a doença cardíaca.

A novidade do actual estudo, com a amostra significativa que envolve, é as pessoas que dormem mais de oito horas por  noite também enfrentarem um risco elevado de doença cardíaca. As causas médicas deste fenómeno estão, porém. ainda por explicar.

 

 

 

Partilhar: