“É um disparate estarmos a alterar a hora”

Teresa Paiva participou no programa de televisão “A Nossa Tarde”, na RTP 1, a 29 de Outubro de 2020 e falou sobre a mudança para a hora de Inverno em Portugal, que ocorreu a 25.10.2020, com os relógios a atrasarem uma hora.

A alteração da hora foi menos debatida este ano, em boa parte por causa da Pandemia Covid-19 e dos seus efeitos, que centram a preocupação dos portugueses e da comunicação social.    

“É um disparate estarmos a alterar a hora. Não é por causa desta mudança para a hora de inverno. Esta deve manter-se. O problema é adiantarmos uma hora na primavera. O nosso biorritmo está de acordo com a luz solar. Quando a hora muda no verão, ficamos desadaptados,  dormimos menos. Os hábitos passam a ser muito tardios, jantamos mais tarde, às 10 ou 11 da noite, dormimos mais tarde, é muito negativo. Temos um jet lag, é como ir daqui para Paris”, disse a neurologista e especialista em medicina do sono.  

“Na hora de verão, há mais acidentes de viação , mais acidentes cerebo-vasculaes, aumento de problemas cardíacos, há risco aumentado de cancro, mais depressões, aumento da obesidade,  até a fecundação artificial tem menos hipóteses de correr bem”.  

Teresa Paiva falou ainda sobre o inquérito Sono e Covid que o Centro de Electroencefalografia e Neurofisiologia Clínica Lda, o seu Centro do Sono, realizou.

“Para o sono de alguns a Pandemia Covid-19 foi óptima. Tiveram uma atitude positiva e menos stress. Face à alteração dos seus horários de trabalho, também dormiram mais ou puderam seguir o seu biorritmo.

Para outros foi muita má, quem tem atitudes negativas ou está sempre a queixar-se, não faz exercício físico ou está muitas horas na cama”, referiu. 

A neurologista e especialista em medicina do sono revelou, ainda, que  segundo o inquérito Sono e Covid, dos cerca de 10 mil participantes, 10 por cento pioraram o seu sono.