“Estranho é o sono que não te devolve”

O poeta Daniel Faria escreveu este poema onde o sono é evocado. Hoje muito elogiado pela crítica, Daniel Faria faleceu num infeliz acidente doméstico (queda) em 1999.

“Estranho é o sono que não te devolve.
Como é estrangeiro o sossego
de quem não espera recado.
Essa sombra como é a alma
de quem já só por dentro se ilumina
e surpreende
e por fora é
apenas peso de ser tarde.Como é
amargo não poder guardar-te
em chão mais próximo do coração”.

in “Explicação das Árvores e de Outros Animais”

de Explicação das Árvores e de Outros Animais(1998)