Fazer “inemuri”

Sono inemuri

Quem já visitou o Japão e não viu dezenas de pessoas a dormir nas carruagens do metropolitano de Tóquio  estação após estação?  “Inemuri” é uma prática seguida por milhões de  japoneses, homens e mulheres de todas as idades e condições  (ou quase).  Significa “estar presente durante o sono”, ou seja dormir à frente de todos, no trabalho, numa reunião ou acontecimento social , nos transportes públicos. Os japoneses preferem a expressão “dormitar” em vez de “dormir”, estão convencidos que o “inemuri” é apenas um sono leve, o que justificaria, aliás, o “estar presente durante o sono”, pronto a tornar-se atento…. se for preciso.

No ocidente o “inemuri” é mal conotado, visto como preguiça, comportamento inconveniente ou vida desregrada de quem dorme pouco à noite. No Japãoe noutros países, como na China e na Coreia do Sul, é quase sempre prova de muitas horas de trabalho, de uma dedicação profissional tal que a pessoa sai muito tarde do emprego e sobram-lhe poucas horas para dormir.  O resultado é adormecer de dia, exausto, em qualquer lugar.

Mas nem todos os japoneses podem fazer “inemuri” tranquilamente. Um novato no emprego corre o risco de passar por impostor que “trabalha muito”, um subordinado pode ver o seu chefe acordá-lo e repreendê-lo.

O “inemuri” é assim mais uma prática cultural japonesa do que um comportamento de higiene do sono mas nos últimos tempos os especialistas do sono japoneses têm realçado a sua importância regeneradora do cérebro e do corpo.  O que aproxima o “inemuri” da sesta mediterrânica.