“Há uma maior sensibilidade na política em relação ao dormir bem”

Teresa Leal Coelho, deputada,  vice-presidente do PSD, diz ao iSleep que tem notado uma maior preocupação dos políticos  “para que as reuniões não acabem muito tarde, quer na Assembleia da República, quer no  meu partido”.

“Há uma maior sensibilidade na política em relação ao dormir bem”, refere.

A deputada dá o exemplo, com um horário bastante regular de sono.

“Normalmente, durante a semana deito-me à meia-noite ou até mais cedo e levanto-me  às sete da manhã.  Aos sábados e domingos também acordo perto das sete. Algumas vezes durmo mais um bocado  mas o facto é que acabo por acordar mal disposta”.

“Em dias em que durmo menos horas, tento recuperar na noite imediatamente a seguir”, acrescenta, acrescenta.

“Em regra durmo  muito bem. Mas quando estou preocupada com o trabalho ou tenho um problema, posso acordar a meio da noite e ter dificuldade em readormecer ou mesmo não  conseguir dormir”, diz a deputada.

“Quando não durmo fico com enorme irritabilidade. O sono é determinante para se ter um bom discernimento, para ter um bom pensamento, para ter serenidade, tranquilidade”, adianta.

“Também há situações em que tenho questões para resolver, tanto do ponto de vista profissional como político, e  com o dormir encontro soluções.  O sono é muitíssimo bom conselheiro”.

Teresa Leal Coelho é professora universitária de Direito e também nesta  actividade é bastante sensível à necessidade de dormir dos seus… alunos.

“Quando me aparece um aluno nas orais da manhã com ar de  quem dormiu mal, cansado, pergunto-lhe como dormiu. Uns dizem-me que estudaram até às cinco da manhã. Digo-lhes então que é melhor adiar a oral e marcamos  outro dia…” conta ao iSleep.

 

 

 

Partilhar: