Idosos com perturbações do sono com risco aumentado de Doença de Alzheimer

Uma nova investigação realizada pelo Hospital de Boston, nos EUA, demonstrou que as perturbações do sono e a privação do sono estão associados ao desenvolvimento e à progressão da doença de Alzheimer e outras demências.

O estudo, publicado em fevereiro de 2021 na revista científica norte-americana Aging envolveu cerca de 4 mil participantes idosos, com mais de 65 anos, monitorizados durante cinco anos no que se refere ao sono.

Verificou-se, através da aplicação periódica de questionários, que o sono fragmentado, maior latência do sono (dificuldade em adormecer) e privação de sono (menos de cinco horas de sono) dos participantes, esteve associada a um risco mais elevado de desenvolver doença de Alzheimer.

Este estudo vem confirmar o resultado de outras investigações semelhantes, que dão um risco aumentado de doença de Alzheimer e outras demências, para grupos de adultos e idosos com perturbações do sono.

Partilhar: