Menos sono, mais obesidade nos adolescentes

Um estudo recente realizado por várias instituições universitárias e de saúde norte-americanas concluiu que adolescentes com horas de sono encurtadas comem mais alimentos calóricos, sobretudo à noite, e menos frutas e vegetais, do que se dormirem um maior número de horas.

A investigação, publicada em dezembro de 2021 na revista on line Sleep, da Academia de Oxford, envolveu a participação de 93 adolescentes submetidos a cinco noites sucessivas de sono encurtado de cerca 6,5 horas) e regresso nas cinco noites seguintes a um sono normal de cerca de 9,5 horas.

Os adolescentes não consumiram significativamente mais alimentos calóricos ao longo do dia durante a fase do sono encurtado versus sono saudável mas consumiram mais calorias durante as horas da noite, em busca de fontes rápidas de energia alimentar.

Também consumiram em média maior quantidade de bebidas açucaradas e menores quantidades de frutas e vegetais, em comparação com a condição experimental do sono saudável.a que foram submetidos.

A consequência ao nível de saúde deste comportamento alimentar derivado de menor quantidade de horas sono é, segundo o estudo, o aumento de peso nos adolescentes e risco de distúrbio cardiometabólico.

 

 

Partilhar: