Natércia Salgueiro Maia: “O meu marido só teve um sono descansado dois dias após o 25 de Abril”

Salgueiro Maia

Natércia Salgueiro Maia, viúva do capitão Salgueiro Maia,  disse ao isleep, em vésperas do 41º aniversário da revolução do 25 de abril de 1974, que o marido regressou a casa, em Santarém, apenas na noite do dia 27 de abril, um sábado, e que “essa noite foi a primeira em que dormiu bem  após estar mais de 48 horas sem descansar”.

Salgueiro Maia foi um dos principais operacionais que fez a revolução do 25 de Abril de 1974. E praticamente não parou durante três dias.  Saiu da Escola Prática de Cavalaria de Santarém na madrugada de 25 de Abril, esteve frente-a-frente com as forças ainda fiéis ao antigo regime na manhã do dia 25 e na tarde desse dia liderou no Largo do Carmo as operações para a rendição do Presidente do Conselho, Marcelo Caetano.  É  Salgueiro Maia, acompanhado de António Spínola, quem conduz Caetano numa chaimite para o Quartel da Pontinha.

Na noite de 25 de Abril, por volta das dez horas, Salgueiro Maia desloca-se para o Regimento de Cavalaria 7, na Ajuda, com o objectivo de obter a rendição dessas forças, o que consegue já na madrugada de 26 de Abril. As forças de Salgueiro Maia passam a noite no Regimento de Cavalaria 7 mas a esmagadora maioria dos homens  não prega olho ou dormita apenas. Salgueiro Maia é um dos homens sem sono.

Natércia Salgueiro Maia veio de Santarém a Lisboa na manhã de 26 de Abril ter com o marido. “Encontrei-o perto de Cavalaria 7”, diz ao isleep. Deram um beijo. Mas a revolução está primeiro. Por volta das 11 horas, o capitão Maia lidera outra operação, desta vez na Cova da Moura. Durante todo o dia de 26 de Abril está envolvido em outras acções militares, com vista a cimentar a revolução e garantir a tomada de posse da Junta de Salvação Nacional, o novo órgão político. Na noite de 26 de Abril as forças de Salgueiro regressam a Cavalaria 7 e aí ficam até de madrugada. A maioria dos homens não dorme ou apenas dormita, tal as emoções vividas. Salgueiro Maia é um deles. A  27 de Abril, um sábado, Salgueiro Maia efectuará outras operações, uma delas a escolta dos arquivos da Pide. Só ao fim da tarde parte para Santarém  ao encontro da família.