Noctívagos dormiram pior que matutinos durante a Pandemia

Um estudo realizado pela Sociedade de Pesquisa do Sono, concluiu que os participantes com cronótipo nocturno tiveram mais problemas de sono e saúde durante a Pandemia Covid-19.

A investigação, publicada recentemente na revista Sleep, envolveu 19267 participantes de 15 países que responderam a um questionário sobre o sono e saúde entre maio e agosto de 2020.

Os participantes com cronotipo nocturno relataram pior qualidade do sono, pior saúde mental, bem-estar e qualidade de vida do que os participantes dos tipos circadianos matutinos.

Os noctívagos deitaram-se mais tarde, especialmente nos dias  úteis, ainda que tenham dormido mais horas, sobretudo pequenas sestas durante o dia, relatando fadiga excessiva. Também demoraram mais tempo a adormecer e revelaram dificuldades em manter o sono. Registaram, ainda, mais sentimentos de fadiga, tristeza e stress do que os tipos matutinos, bem como mais pensamentos perturbadores sobre si próprios e o seu passado e mais pesadelos.

 

Partilhar: