“O eremita e a angélica do sono”, de Peter Paul Rubens

van Dick

“O Eremita e a Angélica do sono” é uma obra do pintor flamengo Peter Paul Rubens (1577-1640) que, segundo os críticos, se inspira num capítulo do livro “Orlando, Furioso”, do italiano Ludovico Ariosto onde se lê: “Lembrei-me de minha querida Angélica, Como ela partiu em um voo, e no voo conheceu um eremita”. O facto de a mulher de Rubens ter morrido em 1626, data do início da execução do quadro e  o estado de  espírito do  pintor ser de sofrimento, preferindo, porventura, viver para sempre como um eremita, lembrando a memória da esposa, também é considerado um “leitmotiv” da obra . Esta pertence ao acervo do Museu Kunsthistorisches de Viena.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Partilhar: