“O sono dos portugueses piorou mas pouco com o Covid-19”

Teresa Paiva revelou à rádio TSF os resultados do estudo “Sono e Covid” que envolveu 5500 portugueses desde março de 2020, criado e desenvolvido pelo Centro de Electroencefalografia e Neurofisiologia Clínica –Dra. Teresa Paiva, “pro bono” e sem apoios financeiros.  

Houve uma “pequena deterioração” no sono dos inquiridos durante o confinamento, “piorou em média 10 por cento”, disse Teresa Paiva.  “Isso indica que [o confinamento] se calhar não foi assim tão mau como as pessoas pensam”, apesar de os inquiridos terem manifestado “muita preocupação em relação ao futuro”, acrescentou a especialista em medicina do sono à TSF.

Os níveis de depressão declarados por quem respondeu ao inquérito também estiveram abaixo do que seria de esperar: “A média na escala de depressão, de um a dez é quatro, portanto é muito pequena”, referiu Teresa Paiva.

Outros dados do inquérito indicam que “39% disseram estar fartos da crise, 32% sentiram falta da família e amigos, 27% estiveram bem, 12% sentiram-se sós e 15% fizeram descobertas que mudaram as suas vidas”, adiantou.

O estudo envolveu várias universidades e teve a participação de 5500 portugueses com idades entre os 18 e os 99 anos, incluindo médicos, enfermeiros, professores, psicólogos e outros profissionais e também doentes acompanhados em 19 laboratórios de sono de todo o país, além de cidadãos que responderam a um inquérito online.

Pode ler e ouvir a notícia da TSF no seguinte endereço electrónico:

https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/pandemia-piorou-o-sono-dos-portugueses-mas-pouco-12758661.html