“Quando os cavalos da insónia tomam conta de nós”

O escritor José Cardoso Pires descreve a insónia de um personagem no seu romance “O Delfim”

“Viro a almofada. Escalda. Inútil mudar de posição ou procurar tolher o pensamento quando os cavalos da insónia tomam conta de nós. Galopam, esvoaçam por cima de abismos e atiram-nos infalivelmente para o fosso da tentação (…) e fixamos um pressentimento, uma sombra que, com o levantar da madrugada, tão depressa tem forma humana como dá a ideia de um monte de palha a apodrecer.”

in O Delfim. José Cardoso Pires