Sono dos atletas de alta competição foi o mais afectado durante o confinamento   

Um estudo da Universidade de Loughborough, no Reino Unido, concluiu que o sono dos atletas de alta competição foi mais afectado durante o confinamento da Pandemia Covid-19 comparativamente à população em geral, designadamente no que se refere ao sono interrompido ou fragmentado.

A investigação, publicada recentemente no site da Universidade, envolveu 4000 atletas de várias partes do mundo que avaliou os seus padrões de sono, com base em questionários individuais. O grupo de  controlo foi constituído por não atletas de competição, de vários estratos sociais, económicos e culturais.

Além das diferenças em relação à população em geral, o estudo concluiu que no universo dos atletas, os mais afectados foram os atletas de desempenho individual e os atletas mais velhos, ambos mais vulneráveis ​ao sono fragmentado e interrompido durante o confinamento da Pandemia.

A investigação também demonstrou que as mulheres atletas foram as que relataram pior qualidade de sono, com insónia, em comparação com os homens.

Os investigadores consideram que os dados do estudo fornecem conhecimentos para alterar favoravelmente o sono dos atletas  em contextos semelhantes no futuro.

Partilhar: