Sono: na moderação está a virtude

Um estudo da Universidade de  Washington, nos EUA, concluiu que dormir de mais ou dormir de menos tem influência na deterioração do sistema cognitivo, contribuindo para a Doença de Alzheimer.

A investigação, publicada em outubro de 2021 na revista Brain, envolveu um grupo de 100 participantes com uma média  de idades de 75 anos. As funções cognitivas do grupo foram monitorizadas durante quatro anos e meio. No mesmo período de tempo, os participantes efectuaram regularmente Electroencefalogramas para medir a actividade cerebral durante o sono.

O estudo revelou que as pontuações relativas às funções cognitivas diminuíram para os grupos que dormiam menos de quatro horas e meia ou mais de seis horas e meia por noite, enquanto as pontuações permaneceram estáveis para os participantes que dormiam um número de horas entre estes dois intervalos de horas.

Partilhar: