Sono profundo é essencial para tarefas de atenção e memória

Um estudo da Universidade de Michigan, nos EUA, concluiu que apenas os ciclos de sono profundo impedem alguns efeitos da privação do sono, como os défices de atenção e memória.

A investigação, publicada recentemente na revista norte-americana Sleep, envolveu 275 jovens universitários, distribuídos aleatoriamente por três grupos. O primeiro grupo foi dormir a casa, o segundo grupo ficou no laboratório de sono e fez uma sesta de 30 a 60 minutos, o terceiro grupo também permaneceu no laboratório de sono mas não dormiu a sesta. Todos os grupos realizaram previamente algumas tarefas cognitivas que serviram de parâmetro de comparação no estudo e mediam a atenção e memória.

Na manhã seguinte, os participantes reuniram-se todos no laboratório para repetir as tarefas cognitivas da véspera.

Verificou-se que o grupo que cometeu mais erros nas tarefas cognitivas, foi o que permaneceu no laboratório e não fez a sesta. O grupo que cometeu menos erros nas tarefas cognitivas foi o grupo que dormiu em casa.

Entre os dois grupos, ficou o grupo que dormiu no laboratório mas fez uma sesta entre 30 a 60 minutos, cujo resultado constitui a grande revelação do estudo. Cada aumento de dez minutos de sesta, com períodos de sono profundo, reduziu os erros nas tarefas cognitivas em cerca de 4 por cento.

 

Partilhar: