Teresa Paiva explica …

Fonte: TDM
Fonte: TDM

A paralisia do sono surge em despertares nocturnos ou matinais e consiste na incapacidade de mexer qualquer parte do corpo, excepto os músculos oculares e respiratórios, podendo associar-se ou não a alucinações. Nos primeiros episódios há um medo intenso por não ser ainda conhecida a reversibilidade do quadro; dura poucos segundos e pára muitas vezes por uma estimulação exterior. É característica da narcolepsia mas pode ser um sintoma isolado, sendo então activada pela privação de sono, horários irregulares, stresse ou fármacos.  Em indivíduos com história prévia de agressões sexuais há uma prevalência maior de paralisia do sono. Não requer investigações especiais mas na polissonografia há um estado dissociado com actividade alfa e atonia muscular.

Partilhar: