Trabalho por turnos com forte impacto no sono

Um estudo da Universidade Edith Cowan, na Austrália, concluiu que o trabalho por turnos de um grupo de mineiros diminuiu a duração do sono nestes profissionais, sobretudo no período  nocturno.

A investigação, publicada na revista Applied Ergonomics, envolveu 75 participantes, todos residentes longe da mina, que foram transportados para o local de trabalho e de regresso a casa todos os dias.

Os participantes trabalharam primeiro uma semana em turno diurno, depois uma semana em turno nocturmo, e por fim tiveram uma semana de folga. Todos usaram um actigrafo durante as três semanas. A jornada de trabalho foi de 12 horas, com intervalo para almoço e descanso.

No final do estudo, os participantes responderam a um inquérito  sobre os seus hábitos de sono e estilo de vida.

Os resultados mostraram que os turnos de dia, que tinham início às seis horas da manhã, com despertar às quatro da manhã face ao tempo de deslocação dos mineiros, causaram uma diminuição da duração do sono nos participantes em 30 minutos. Porém, após o início dos turnos nocturnos, que começavam às 18 horas, com deslocação para o trabalho às 16 horas, a duração do sono chegou a diminuir 77 minutos no final da semana e início da semana de folga.

Os investigadores consideram que estas conclusões podem ser também aplicadas a trabalhadores por turnos noutros sectores, como na saúde e turismo.

Partilhar: