Um sonho de Irene Pimentel

Irene Pimentel

“Sonho muito, ou seja lembro-me muito dos sonhos, que ‘metem’ sempre as pessoas que conheço, mas com outras aparências, muito fantasiosas.  Sonho também, mas não muito, com pessoas próximas que morreram. E gosto de sonhar com elas.

Apenas sei que tenho um sonho recorrente: uma onda enorme que se avoluma à minha frente ou sucessivos impedimentos que surgem quando preciso de ir apanhar um avião.”

Partilhar: