Um sonho de Isabel do Carmo

Isabel do Carmo

“Infelizmente o sonho mais recorrente é que não tenho casa ou tenho uma casa má, ou perdi a direcção e não tenho onde ir dormir. É profundamente fantasioso, porque há vários anos que tenho uma casa estável e boa, de que gosto muito. Mas tem a ver com a vida passada e situações difíceis. O inconsciente não perdoa.

Mas divertido era quando tinha dezasseis anos, estava apaixonada pela matemática e sonhava com resolução de problemas de trigonometria e geometria descritiva. Já esqueci tudo. Isso sim era divertido.”

 

 

 

Partilhar: